× Capa Textos Áudios Fotos Perfil Livro de Visitas Contato
As Folhas Cactáceas
Nem todo mundo tem um lugar ao sol.
Textos
Chego sempre onde você não está
Não procuro nada
Vou palmilhando a estrada que vai se abrindo
A medida que vou caminhando,
É sempre nova a pegada nesse Chão
Que abre entre dimensões impalpáveis
Um ponto para meu próximo passo,
E o anterior se apaga,
Se apaga toda estrada
E eu nunca posso voltar...

Mas me lembro de você
De como foi bom te conhecer
E caminho assim sonhando
Que o caminho que vai se revelando
Uma hora vai me mostrar você,
Você que não consigo nem quero esquecer...

Cheguei numa esquina,
Cheguei em um mar
Encostei num bar
E perguntei onde te encontrar...
Me disseram que tinham te visto
Que lembravam de você
Mas perderam o caminho que te levou
Na verdade ninguém notou
Estavam bêbados demais lutando para esquecer
Aquilo que os fez beber...
Mas deram um rumo,
Que seguisse em frente lateralmente pela esquerda e direita sem voltar,
Que voltasse de onde não chegasse,
Era ali que talvez de encontrasse...

Fui embora,
E estou aqui agora
Estou em movimento sempre
E sempre chego num lugar novo
Desconhecido
Onde todo muda fala que te viu
Mas não te viu seguir
Parece que na ida você faz é sumir
E assim
Eu chegou sempre onde você não está
Mas se não vou
Se tambem fico
Sei que você não vai ali chegar
E portanto tenho que partir,
E agora não vou mais me preocupar em te achar
Porque eu mesmo me sinto perdido
E até já delirei
Será que sou eu que não estou onde eu chego,
Será que não sou eu
Esse que sempre vive a me escapar?

Não sei
Mas sei que sempre chego
E antes de partir me amarga a verdade
Se sempre chegar onde você não está...
Sebastião Alves da Silva
Enviado por Sebastião Alves da Silva em 06/05/2022
Alterado em 06/05/2022
Copyright © 2022. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários