× Capa Textos Áudios Fotos Perfil Livro de Visitas Contato
As Folhas Cactáceas
Nem todo mundo tem um lugar ao sol.
Textos
Um anjo me disse
Um anjo me disse
Numa hora extrema
Num dia extremo
Número do extrema
Uma realidade
Que não posso conceber
Que não desistisse,
Que eu suportasse eu sofrer
E ele pediu que te dissesse
Que continue sonhando
Eu tenho uma já está preparado
Que Não deixes a tua esperança perecer...

Um anjo apareceu na minha frente
Mas não me assustei como devia
E ele viu que fiquei indiferente
Mas entendeu o que era porque sofria
Eu ia passar Sem interesse
Mas eu vi que o seu olhar me seguia
E parei e olhei para ele
E perguntei o que ele queria...

Teu nome é Sebastião
És tu aquele que não compreende
Os desígnios da vida
Traçados pelo ser onipotente?

Sim, sou eu.

Sou eu o que se indaga permanentemente
Sou eu o inconformado com a sorte
Sou eu o que anda a desejar a morte
Sou eu o que a ti está presente

Pois eu tenho um recado
Algumas palavras a te dizer
Presta atenção para entender
O teu destino já é marcado!

Ah, cedo tempo permanente!
Que dizes que não sei?
Essa informação já decifrei
Sei do futuro como do presente!

As tuas dúvidas são profundas
Teus questionamentos foram ouvidos
E tem muitos que estão comidos
A tua dor o universo inunda...

Ah, sei de outro espaço!
Isso por mim já é sabido
Diz logo o que te foi concebido
Porque quero seguir no meu passo

Sei que andas entristecido
Sei que te sentes abandonado
Mas fui a te mandado
Para que fiques mais esclarecido

Ah a essa altura da caminhada
Em que quase nada resta da juventude
Depois que resisti como pude
Que disse composto de Alvorada?

Guarda bem o teu coração
Guarda bem os teus sonhos
Não serás sempre tristonho
Um dia te deixará a solidão

Deixa me seguir o meu caminho...
Que noite é essa que me traga?
Eu só queria no mundo uma vaga
Eu desejei o aconchego de um ninho...

Que teus anseios permaneçam
Está escrito que vais ainda encontrar
Você que é a tua tristeza vai transformar
E alegria pura de criança...

Ah não me diga de utopias
Não me leve a conformação
De não encontrar um par para minha mão
Não me pinte falsas alegrias!


Vem eu vou te levar pelo mundo
Eu vou te mostrar não vou Vazante
Que minhas palavras não são delirantes
Eu vou aliviar o teu sofrer profundo

(E assim mais rápido que o pensamento
Me vi a transitar entre as eras
A ver mais do que pudera
A substância de muitos momentos

E ele ia me apontando
Desconhecidos e amigos
E eu vi muito mais do que digo
Enquanto o anjo ia me levando

Eu pude sofrer eu pude sentir sofrer silenciado
Que vive no coração de muita gente
Enquanto transitava aeriamente
Com ajuda daquele alado

Foi então que ele me apontou
Momentos de minha própria existência
Tempos em que tinha inocência
Tempos que minha memória apagou

E ele foi me mostrando
Que eu não é época não sofria
Da forma como agora me sentia
Com os olhos inundados de pranto...

Depois vi minha adolescência
A época dos primeiros amores
A época das maiores dores
Que podem haver uma existência

E ele me pediu para observar
Que eu ali sempre me recuperava
Quando um desamor eu encontrava
Sempre cria no passo...)

Depois disso entre nuvens
Eu me vi na idade em que estou
E de fora para mim se revelou
Muito claro o que só via em imagens

2005
Sebastião Alves da Silva
Enviado por Sebastião Alves da Silva em 04/06/2022
Alterado em 04/06/2022
Copyright © 2022. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários